Plantação das Árvores Nº 6 e Nº 7

P1240985
O Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Dr. Fernando Medina, instalando a placa da Árvore Nº 6 do Projecto 100 Anos 100 Árvores.

Hoje, dia 1 de Fevereiro de 2016, no Portão dos Combatentes do Cemitério do Alto de São João, foram plantadas as Árvores Nº 6 e Nº 7 – dois exemplares de Pereira-de-Jardim (Pyrus calleryana) pelo Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Dr. Fernando Medina e o Presidente da Liga dos Combatentes Tenente-general Joaquim Chito Rodrigues.

O nosso agradecimento à Arquitecta Teresa Travassos, da Direcção Municipal de Ambiente, a toda a equipa que organizou a abertura das duas novas caldeiras e colaborou nos trabalhos preparatórios para que fosse possível plantar estas árvores.

P1240991
O Presidente da Liga dos Combatentes, Tenente-general Joaquim Chito Rodrigues, colocando a placa da Árvore Nº 7 do Projecto 100 Anos 100 Árvores- Centenário da Grande Guerra.

Plantação das Árvores Nº 6 e Nº 7

P1240952-001

O Dr. Fernando Medina, Presidente da CML, iniciando a plantação da Árvore Nº 7

P1240963

Inês Costa Macedo, em representação da Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas

P1240968

Manuela Correia, em representação da Associação Liga dos Amigos do Jardim Botânico de Lisboa

P1240974

João Pinto Soares, em representação da Associação Lisboa Verde

P1240979

O Dr. Fernando Medina e o Tenente-general Joaquim Chito Rodrigues regando a Árvore Nº 7
Resumo do discurso de apresentação da cerimónia no Cemitério do Alto de São João:

A plantação de Árvores que vamos fazer dentro de minutos é um acto que quase dispensaria apresentações.

Mas o local onde nos encontramos – Portão e Cripta dos Combatentes – e a presença de todos vós, bem justifica recordar a origem e a missão do PROJECTO 100 ANOS 100 ÁRVORES. 

Queremos prestar homenagem a todos os portugueses mobilizados para a Grande Guerra (mais de 100.000) em particular aqueles que morreram (7760) assim como os feridos em combate (mais de 16000). E queremos naturalmente fazer o elogio da Paz.

A pergunta que fizemos a nós próprios em 2014 foi: «Como é que a nossa geração, 100 anos depois, FAZ uma HOMENAGEM?»

Os nossos antepassados construíram monumentos, inauguraram estátuas e placas – e isso aconteceu em todo o mundo.

Mas nós agora, em Lisboa, em Portugal, 100 anos depois? Como dar expressão à nossa reflexão sobre a GRANDE GUERRA?

Nestes cinco anos do centenário o desafio que se nos coloca é conseguir cumprir a missão da homenagem mas ao mesmo tempo ser fiel ao nosso tempo, à nossa visão do Mundo.

Para nós foi natural construir a homenagem com Árvores – esses seres vivos, nossos amigos, silenciosos e generosos, tanto em tempo de guerra como de paz. 

Inaugurar MONUMENTOS VIVOS, dinâmicos, belos como só as Árvores podem ser – é talvez a mais perfeita homenagem. A ÁRVORE, paradigma de vida, é também o nosso manifesto pela Paz no Mundo. 

É uma grande honra contarmos hoje com a presença do Sr. Presidente da Liga dos Combatentes – Tenente-general JOAQUIM CHITO RODRIGUES e do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Dr. FERNANDO MEDINA para juntos, plantarem as Árvores Nº 6 E Nº 7, mais dois monumentos vivos dos 100 que desejamos plantar em Lisboa até 2018.

Obrigado.

PROJECTO 100 ANOS 100 ÁRVORES

Fernando Jorge

1 FEVEREIRO 2016